Adélia Borges, curadora da Bienal Brasileira de Design 2010 Curitiba recebe título de Doutora Honoris Causa na área de design.

Foto Mariana Chama

2010 foi um ano importante para o design brasileiro que se consagrou com a realização da maior bienal de design do país, a Bienal Brasileira de Design de Curitiba. O evento, organizado pelo Centro Brasil Design, com o tema design, inovação e sustentabilidade apresentou mais de 500 projetos da indústria brasileira em 9 mostras distribuídas em diversos espaços da cidade. A iniciativa contou com a curadoria da Adélia Borges, uma das mais importante críticas e curadoras da área, que conduziu com maestria a temática da inovação e sustentabilidade e mostrou todo o potencial da indústria brasileira.

Mostra A Reinvenção da Matéria, Bienal Brasileira de Design, Museu Oscar Niemeyer. Foto: Diego Pisante / Agência Clix – press.clix.fot.br

 

Mostra Design, Inovação e Sustentabilidade, Bienal Brasileira de Design, Cietep. Foto: Diego Pisante / Agência Clix – press.clix.fot.br

Este ano o Conselho Universitário da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp) decidiu conceder o título de Doutora Honoris Causa para Adélia Borges, curadora, jornalista e crítica atuante na área do design. O processo para a concessão do título teve a iniciativa do Departamento de Design da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC), do campus de Bauru. Na justificativa do título, o Conselho afirma que ele foi conferido “por sua atuação como crítica e curadora com relevante contribuição para a pesquisa, divulgação e valorização do Design Brasileiro no cenário nacional e internacional, demonstrando profundo conhecimento da área e abrangente visão sociopolítica e cultural”.

Até então a Unesp havia outorgado 16 títulos de Doutor Honoris Causa, entre eles para o geógrafo Milton Santos, o economista Celso Furtado, o crítico literário Antonio Candido, o engenheiro aeronáutico Ozires Silva, o indigenista Orlando Villas Bôas, o advogado Plínio Soares de Arruda Sampaio, o escritor Ignacio de Loyola Brandão e o ativista de direitos humanos Adolfo Pérez Esquivel. Adélia é a primeira mulher a receber a distinção.

Exposição “Puras misturas”, Pavilhão das Culturas Brasileiras, São Paulo, 2010. Foto Mariana Chama

Como em todas as universidades públicas, o processo para a concessão do título foi longo e exigiu pareceres e aprovações em vários âmbitos (ver detalhes no anexo). A diretora da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação de Bauru, Profª. Drª. Fernanda Henriques, afirma que a nomeação como Honoris Causa é motivo de orgulho para a FAAC. “Adélia congrega com excelência nossas áreas de conhecimento, como ciências sociais aplicadas, comunicação social e artes. Jornalista, contribuiu para o reconhecimento do Design Brasileiro, a partir da valorização da cultura e saberes locais, aproximando a área com o artesanato”, destaca.

Adélia Borges, por sua vez, diz: “Fico extremamente feliz com esse reconhecimento, que considero extensivo a toda a área do design. Essa atividade impacta profundamente a vida e o cotidiano de todos, mas ainda é pouco conhecida e debatida pela sociedade em geral em nosso país. Um motivo a mais de alegria é o fato de estar numa lista com personalidades que admiro demais que haviam recebido a distinção em anos anteriores, escolhidos em processos de concessão muito criteriosos por parte da Unesp, passando por sucessivos filtros”.

A Adélia sempre foi uma importante colaboradora para o trabalho do Centro Brasil Design, mas realizar a Bienal Brasileira de Design com sua curadoria foi realmente uma experiência única e um grande aprendizado para toda nossa equipe, diz Letícia Castro, Diretora Superintendente do CBD.

A cerimônia solene de entrega do título acontecerá em 8 de março de 2021, no Dia Internacional da Mulher.

Exposição EntreMeadas, Sesc Vila Mariana, São Paulo, 2019 Foto: Mariana Chama

Mais informações:
@labdesigncontemporaneo
@borges_adelia
www.adeliaborges.com

Sobre a Adélia Borges

Adélia Borges é crítica, historiadora de design e artesanato e curadora. É autora de mais de uma dezena de livros, entre eles ‘Design + Artesanato: O Caminho Brasileiro’, de 2011. Entre 2003 e 2007 foi diretora do Museu da Casa Brasileira, em São Paulo. Jornalista formada pela Universidade de São Paulo em 1973, é colaboradora de várias publicações, com textos publicados em nove línguas. Palestrante frequente, já se apresentou em 22 países e fez a curadoria de mais de 50 exposições no Brasil e no exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *