Tijolos de Plástico Reciclado

O Desafio

A Conceptos Plásticos é empresa privada com impacto ambiental, social e econômico focada na economia circular. Em 2013 a empresa Iniciou suas atividades oferecendo soluções para um problema ambiental relacionado ao descarte de plásticos e a iniciativa foi liderada por sua sócia, Isabel Cristina Gamez.

A empresa tinha como objetivo buscar uma solução que pudesse ser útil e necessária à sociedade, de forma a manter-se como uma iniciativa social que perdurasse e fosse sustentável. Olhar o negócio sempre de forma a trazer um impacto positivo, social e econômico para as partes envolvidas é o lema da empresa. Nesse projeto de aproveitamento do uso do plástico descartado, a empresa tinha como foco trabalhar diretamente com os recicladores de plástico, capacitando-os para este trabalho. Educar e promover mudanças de comportamento no descarte de resíduos, envolvendo comunidades de recicladores na logística e melhorando sua renda.

Mas o que fazer com o plástico usado? Foi quando surgiu a ideia de juntar a ação social, gerando trabalho para os recicladores de plástico e a ação ambiental reutilizando esse material. Surgiu a ideia de transformar o plástico em tijolos para criar um sistema de construção alternativo, criar impactos positivos e reduzir o déficit habitacional nos países em desenvolvimento e ampliar o acesso global à moradia.

Porém, além de desenvolver o produto a empresa também tinha como desafio passar pela barreira de entrar em um mercado muito competitivo, com algo inovador e feito com um material que jamais tinha sido considerado como solução na indústria da habitação.

O Projeto

A Conceptos Plásticos iniciou suas pesquisas no sentido de desenvolver uma tecnologia que pudesse transformar o plástico já utilizado em tijolo para construção civil e ao mesmo tempo, diminuir o impacto social e ambiental negativo originado pelo uso do plástico. A proposta também era que o material fosse comprado diretamente dos recicladores. A tecnologia utilizada tem por base o processo de extrusão do plástico, no qual este é triturado, derretido e preenchido em um molde final. Em seguida recebe um choque térmico para esfriar o material, que depois é retirado dos moldes, criando um tijolo similar a um de argila com as mesmas dimensões. O tijolo de plástico reciclado isola o calor, é termoacústico e sua produção segue a legislação colombiana no que se refere a atividade sísmica do país. Sua forma é feita para encaixar-se um ao outro, sistema que agiliza o processo de construção, seja residencial, industrial ou escolar. É um material leve e fácil de ser transportado o que facilita o uso em construções de áreas com difícil acesso.

Os proprietários da empresa sempre tiveram como objetivo usar somente o plástico já utilizado, retirando-o do meio ambiente.

“A nossa missão principal é criar uma consciência sobre reciclar. Tanto na Colômbia quanto no Brasil, não é comum que as pessoas separem seu lixo dentro de casa. Também não é comum que haja uma logística voltada aos materiais reaproveitáveis”, explica o empreendedor Oscar Méndez.

O Resultado

Pronto o tijolo de plástico reciclado houve um trabalho de convencimento para que as pessoas entendessem que o plástico, como matéria-prima reciclada, não era ruim. Tampouco pelo fato de ter sido reciclado: existem muitos processos de transformação pelos quais o plástico tem de passar para que se converta, enfim, em uma peça do processo.

Os tijolos são feitos de forma a se encaixarem, tornando possível que os próprios moradores ou voluntários sem muita experiência consigam construir as casas, é um sistema construtivo modular. Pode-se realizar qualquer tipo de construção que tenha (por ora) apenas um piso. Moradias, salas de aula, centros comunitários, centros de saúde.

O aproveitamento do plástico usado não só passou a prevenir a contaminação do ambiente pelo plástico, cujos resíduos são retirados dos lixões, mas também fez com que fosse transformado em material de construção necessário para que comunidades de baixa renda pudessem ter uma infraestrutura mínima de habitação.

A comercialização dos tijolos de plástico iniciou em 2015, após diversos testes e a elaboração de uma nova visão empresarial. Em 2016 a Conceptos tinha capacidade para produzir 20 moradias mensais.

“Entre todos, precisamos fazer uma campanha de conscientização. Por meio de tarefas simples, podemos dar moradia a pessoas que não a tem e não a teriam em várias gerações”, diz Méndez.

“Mais do que um simples bloco de plástico é um projeto de desenvolvimento. É um projeto de impactos sociais, ambientais e realmente de desenvolvimento em muitos aspectos”, explica Méndez, que visitou as Nações Unidas durante a Assembleia Geral para ensinar o trabalho que a empresa realiza com o UNICEF.

6 Comentários

  • Bom dia que ideia fantástica, estou a procura de melhoria ao mundo, por isso estou pesquisando, tenho interesse de dar continuidade a esse projeto na minha região, Norte de Minas, tiver interesse me avisa…

  • Preciso implementar uma fabrica dessas aqui na minha pequena cidade e reciclar os resíduos das cidades vizinhas. Parabéns pela idéia, isso é mais que uma idéia é uma solução. “Mais que uma idéia, uma solução!

  • Pensei em fazer isso, tive várias idéias, testei algumas que deram certo, por exemplo ao derreter o plástico reciclável e quando estiver em seu estado liquido misturar pó de pedra. depois colocar no molde e quando está pronto, sai um bloco mais leve e resistente que os convencionais em pelo menos 5x mais. estou pensando em abrir uma empresa disso ou ainda fazer parte disso, pois seria uma maneira de ajudar o planeta, resolver problemas de moraria a um custo baixo. show de bola vocês, continuem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *